7 coisas de que um emigrante sente falta no Brasil

Quando saí de Portugal, pensei que ia sentir falta sobretudo da família e dos amigos. Há esta ideia para quem é emigrante de que tudo é substituível menos as pessoas, e embora o Skype seja uma dádiva dos céus, continua a ser difícil aguentar as saudades.

No entanto, pouco tempo depois de ter chegado ao Brasil, comecei a notar a falta de uma série de coisas que antes tinha como garantidas e que até é difícil explicar às pessoas aqui. Estas são dez coisas de que sinto falta:

1. Multibanco. Esse luxo de ter uma máquina Multibanco em cada esquina e de funcionar para qualquer cartão e qualquer banco é uma memória longínqua. Aqui, não só é preciso ir à máquina automática certa do nosso banco, para não pagar taxas, como o que dá para fazer com ela é limitado. Carregar o telemóvel? Que bruxaria é essa?

2. Televisão, internet e telemóvel no mesmo pacote. No dia em que liguei para um dos fornecedores de telecomunicações a perguntar se podia ter uma fatura única em pacote com o serviço de internet, do mesmo grupo, responderam-me que não, era o que faltava. Entretanto, apareceram uns pacotes que juntam tudo e são a módica quantia de 90-100 dólares, com velocidades baixas e canais manhosos. E a quantidade de vezes que a rede móvel vai ao ar?

3. Baldes com espremedor e esfregona. Está na minha lista de coisas a trazer quando for de férias a Portugal, porque aqui não existe. Há grande variedade de esponjas descartáveis, mas o conceito de um espremedor num balde quase deixou um empregado da Lowe”s a dar gargalhadas na minha cara. Fui a uma dezena de lojas e supermercados e nem sinal.

4. Bica. O café expresso aqui é caro e sabe a grãos de café infelizes que foram à guerra e perderam todos. Uma bica a 0,55euro é uma utopia por aqui, pelo que o melhor é mesmo pedir um café Americano no Coffe Bean ou comprar uma máquina de cápsulas para casa (e mesmo assim…).

5. Transportes públicos. Tirando a parte em que empresas como o Metro e a CP aderiram à greve como os hipsters à barba, é possível na maioria das cidades portuguesas andar de um lado para o outro de transportes. Aqui toda a gente tem carro porque as linhas são parcas e não ligam de uma ponta à outra. Há metro sim senhor, mas só vai até certos sítios. Para chegar lá é preciso apanhar dois autocarros que demoram uma eternidade e ainda andar um pedaço. Nem o trânsito infernal justifica isso.

6. Bilhetes de cinema a preços razoáveis. Aqui paga-se facilmente 20 a 30 reais para ir ver um filme, mais uns 10 pelas pipocas. Resultado: a não ser que seja uma ocasião ultra especial, não se põe lá os pés. Ainda por cima, os homens normalmente pagam toda a despesa de um encontro, pelo que não lhes fica nada barato tentar encontrar a cara-metade.

7. Seguro do carro para não ricos. Eu achava que pagava muito pelo seguro contra todos em Portugal, até descobrir que aqui barato é coisa de 500 reais por mês. Por. Mês. Também descobri que ninguém fala em termos de distância, mas em tempo que demora. “A quantos quilómetros fica São Paulo?”, “Hum, são cerca de 1h10 minutos.”

Fonte: dinheirovivo

Reclamação ZON – Os Problemas Técnicos

Em episódios anteriores de “Reclamação ZON“…

Continuando a novela…

As Falhas Técnicas

Como mencionado anteriormente, já usufruía do serviço ZON há algum tempo, nesta feita em nome do meu pai, e tinha um serviço “normal” onde utilizava um Router Belkin e nunca tive qualquer problema, quer a nível de Telefone, Internet ou mesmo Televisão, aliás os problemas vieram mesmo quando houve a mudança para meu nome.

Ora, tendo eu ficado com o serviço Fibra de 30Mb, foi-me instalado um Modem / Router, denominado Zon Hub, e foi aqui que começou as complicações.

Havia quebras constantes no serviço de Internet quando conectado por Wireless, pois por rede não acontecia. O Router tinha vontade própria, pois todos os dias por volta das 06h00 reiniciava ficando cerca de 30minutos para se conectar.

Pensei que seria da Placa Wireless do portátil, o que achei estranho inicialmente pois ele conectava bem com qualquer rede wireless excepto a minha, no entanto resolvi testar com outros 3 portáteis, e o resultado foi o que esperava, nada, nicles, zero. Por vezes conecta, outras vezes não, quando conecta tem vezes que trabalha bem, porém a maioria das vezes as quebras de conexão são constantes.

Resolvi então ligar para a linha de apoio técnico da empresa, onde a primeira vez apanhei uma rapariga simpática, que em 10minutos, aparentemente tinha resolvido a situação. Digo aparentemente pois durante cerca de 3 / 4 dias não houve problemas de conexão, o router não reiniciava por vontade própria. Porém passado esses 3 / 4 dias, e apesar de o router não se reiniciar a conexão continuava inconstante mas não tanto como antes, era perfeitamente suportável.

No entanto, no dia 27 ou 28 de Dezembro de 2010, um vizinho no 3º andar instalou o serviço ZON e qual o meu espanto que por volta das 20h00 fico sem qualquer serviço, vou verificar e estavam a mexer na minha caixa de telecomunicações, sendo que eu moro no 2º andar, a mim não me fez qualquer sentido apesar de eles dizerem que era normal.

O que é certo é que após informar aos técnicos que fiquei sem serviço 4minutos depois ficou tudo ok, aparentemente.

  1. Fiquei sem Internet por completo
  2. Fiquei sem os canais HD dando apenas som

Coincidência ou não, aconteceu quando os senhores mexeram na minha caixa de telecomunicações, e queriam ir embora sem verificar a situação, porem lá foram ver o que se passava não conseguindo de forma alguma restabelecer  a ligação com a Internet sendo necessário efectuar uma chamada e pedir códigos de Zona, e lá conseguiram restabelecera conexão com a Internet.

No entanto, voltou tudo como antes, router a reiniciar sozinho, quebras constantes na ligação wireless

No dia 29-12-2010 o meu pai ligou para a linha de apoio e foi resolvido a situação dos canais HD, e a dia 31-12-2010 após 45minutos ao telefone com um assistente, que aparentemente não fez nada fui contactado por um departamento cujo número é 211141964 begin_of_the_skype_highlighting 211141964 end_of_the_skype_highlighting e o que fizeram foi mudar o canal do sinal wireless, e aparentemente (por 3h) funcionou. Depois voltou ao mesmo, resolvi ligar, como sugerido pela assistente, e forneci o número da ocorrência que tinham aberto, qual o meu espanto quando a resposta foi pura e simplesmente algo como:

Não detectamos anomalias no sinal (boa, isso já lhe tinha dito, pois eu apanho sempre sinal, não consigo é ligar-me), como tal não podemos ajudar-lhe mais, poderá é ligar para o 16991

Supostamente esse número, 16991, é dos parceiros técnicos da ZON, a PCMedic e estão mais aptos a resolver esse problema, ok, nada contra, o assistente sugeriu que ligasse para que os colegas analisassem e enviassem um relatório à ZON, no entanto para ver o meu problema resolvido teria que despender 0,30€ por minuto, ora se demorarem 45min como o primeiro assistente demorou, estamos a falar de 13,5€, que, segundo o assistente, se se verificasse que era anomalia do router que era-me restituído esse montante, caso contrário teria que ser eu a arcar com esse custo.

Ou seja, para ter o serviço em condição, vou ter que gastar dinheiro para ver o problema resolvido, ou não, porque não me garantiram nada, e eventualmente poderá ser restituído ou não.

É que de acordo com a página do Zon Hub, tenha mais alcance e velocidade que nunca ao aceder sem fios com Wireless N (também compatível com Wireless G), o que eu não tenho acesso, e para tentarem resolver um problema que não é meu, pois não consigo usufruir de um serviço VOSSO, utilizando o VOSSO equipamento, e para o qual PAGO, terei que pagar mais para o tentarem solucionar.

No dia 6-01-2011, aconteceu tudo novamente e segundo a assistente era erro de configuração do Router, a qual disse que a situação estava resolvida e que não deveria voltar a acontecer, o que é certo é que de imediato fiquei com acesso à internet.

Hoje dia 08-01-2011, nova dose com uma operadora, onde fiquei 45min (novamente) e qual quê que a situação ficou resolvida. Sugeriu novamente que ligasse para a PCMedic.

No final do mês venham cobrar o serviço completo que depois logo vos canto o fado.

Não vejo a hora de deixar de ser vosso cliente, farto de incompetências.

Reclamação ZON – Direitos do Consumidor

Em episódios anteriores de “Reclamação ZON“…

Continuando a novela…

A Terceira Factura e a Ameaça de Suspensão

Devido a não ter pago a 2ª factura pelos factos expostos na Parte 1 e porque:

  1. Não sou obrigado a pagar por algo que me está a ser cobrado indevidamente
  2. Não me informaram nunca o valor correcto que poderia pagar
  3. Mesmo que me informassem do ponto 2, estaria a infringir a cláusula 7.6 das Condições Gerais

A dia 18-12-2010, 3 dias após a data limite de pagamento da 2ª factura, é-me de imediato emitida uma nova factura e uma carta de “Pagamento em Atraso”.

  • Primeiro, passaram apenas 3 dias, estão assim tão necessitados de dinheiro? Se calhar estão, a julgar pelos valores a mais que me cobram nas facturas.
  • Segundo, não paguei a factura não por esquecimento, não por não querer, mas por ERRO VOSSO, o qual não quiseram resolver em tempo útil.
  • Terceiro, posso pagar de diversas formas, uma delas por Payshop e se pagasse pela Payshop, não daria entrada em 3 dias.

Mais, na dita carta de “Pagamento em Atraso”, além de ser uma carta intimidatória , pois mencionam logo que “… a ZON TVCabo suspenderá a prestação dos serviços no prazo de 10 (dez) dias se, entretanto, o pagamento de todos os valores em dívida não for efectuado.”, estamos a falar de 3 dias de atraso por erro VOSSO, estamos a falar de uma reclamação pendente que não estava resolvida.

Mas novamente, a violação do contrato por partes destes senhores, é abismal, se não vejamos:

7.2 A ZON TV CABO emitirá, com periodicidade mensal e antecipadamente ao período a que respeitem, uma factura não detalhada, em formato papel ou em formato electrónico, com os preços devidos pelos Produtos, Serviços e Equipamentos, as quais devem ser pagas pelo Cliente até à data limite e através dos meios indicados na respectiva factura.

Sendo que, a primeira factura foi emitida a 26-10-2010, a segunda a 25-11-2010 (periodicidade mensal), a terceira deveria ser emitida com periodicidade mensal, ou seja, a dia 25-12-2010 (mais coisa menos coisa), e não a dia 18. Mais informo que, a segunda parte do destacado a negrito, diz que além da periodicidade mensal, é respectivo ao período antecipado a que diz respeito, ora, eu teria que pagar a primeira factura até 15-11-2010, o período foi de 23-09-2010 a 30-10-2010, a segunda factura até 15-12-2010 respeitantes ao período de 01-11-2010 a 30-11-2010 e a terceira factura, respeitantes ao período de 01-12-2010 a 31-12-2010 deveria ser paga até dia 05-01-2011, onde está o rigor pelo contrato?

A Resolução do Contrato

Com tudo isto, a resolução do contrato era inevitável, assim sendo, após ter recebido a terceira factura e a respectiva carta intimidatória que suspenderiam os serviços, desloquei-me à loja (30-12-2010), onde novamente não se livraram de nova reclamação.

Posto isto pedi a rescisão dos serviços, onde foi-me dito que tinha um contrato de fidelização de 12 meses, no entanto toda e qualquer mudança de tarifário deveria ter uma indicação visível das condições e da fidelização, no caso desta se verificar. Independentemente de ter sido ou não pedida pelo cliente. Porque neste mundo ninguém nasce “bruxo”, eu pelo menos, não nasci bruxo e agradeço ser devidamente informado destas práticas “secretas” seja de que serviço for, logo não assumo à partida que possam haver “condições especiais, que pressupõem a fidelização”! Exijo ser devidamente informado com antecedência!

No caso, a funcionária que me atendeu deveria ter a sensibilidade (ou obrigação, que ainda é melhor) de informar devidamente, e quando eu assinasse o respectivo pedido, essa informação do período de fidelização e/ou quaisquer outras condições deveriam vir bem explícitas, já nem digo para virem com letras garrafais, mas que ao menos apareçam relegadas para as “ultra-secretas” linhas de um qualquer contrato microscópico!

Mas nem isso tem, e mais, pedi (30-12-2010) para me enviarem as condições da campanha para a qual aderi, qual o espanto? Não podem enviar, dizem que o site tem tudo, ora, nas condições gerais do serviço ZON diz:

7.1 Os preços devidos pelo Cliente à ZON TV CABO pela utilização dos Serviços e/ou de Equipamentos (com IVA incluído) constam do Preçário ZON TV CABO em vigor em cada momento, o qual está disponível para consulta em www.zon.pt e também nos locais de venda dos produtos ZON TV CABO, tendo sido disponibilizado ao Cliente o Preçário em vigor na data de adesão, o qual consta do Anexo III às presentes Condições e faz parte integrante das mesmas.

Podem mostrar-me onde se encontra o preço do Serviço que tenho? Pois em parte alguma refere-se ao serviço (e preço) que tenho. O pacote que tenho é o que contem 124 Canais, ou seja, o Fantastic HD + Fibra 30MB de Net + Telefone Ilimitado + ZON BOX HD+DVR com o valor de 45,49€.

Continuando a falta de rigor, no momento da adesão ao novo pacote não me foi entregue o Preçário. Pelo que consta nessa mesma cláusula, o Preçário consta do Anexo III das Condições Gerais e é parte integrante das mesmas. Sendo parte integrante das Condições Gerais têm que ser entregues conjuntamente com as Condições Gerais, coisa que nem uma nem outra nunca me foi entregue.

Pelos vistos estes senhores andam a leste no que toca aos Direitos do Consumidor, mas nós (consumidores) estamos aqui para os lembrar, assim sendo, saiba que o Consumidor tem Direito à Informação.

O direito à informação está consagrado na Lei de Defesa do Consumidor (Lei n.º24/96, de 31 de Julho). É necessário que a informação chegue ao consumidor de uma forma clara e inequívoca, e os fornecedores devem dar todas as informações sobre as características dos serviços que vendem, especialmente preço e contratos.

No entanto, persisti e pedi mesmo a rescisão dos serviços, o que me foi dito que só seria possível ser feito a fins de Janeiro de 2011, baseando-se na cláusula seguinte:

10.3 Se o pedido de desligamento e/ou desactivação dos Produtos e Serviços for recebido pela ZON TV CABO com uma antecedência de 15 (quinze) dias relativamente ao termo do período inicial ou de qualquer das suas renovações, o desligamento e/desactivação será efectuado até ao final do mês em curso. Caso o pedido não seja recebido com a referida antecedência, a desactivação e/ou o desligamento serão efectuados até ao final do mês seguinte.

Até aqui nada contra, porém eu não pedi o desligamento, pedi sim a resolução do contrato, e segundo as condições gerais:

12.1 Qualquer uma das partes poderá exercer o direito de resolução em caso de incumprimento ou cumprimento defeituoso de qualquer uma das obrigações assumidas pela outra ao abrigo das Condições dos Produtos e Serviços ZON TV CABO.

12.2 A resolução opera decorridos 15 (quinze) dias após recepção da comunicação escrita remetida por uma parte para o endereço de correio postal da outra parte, invocando os respectivos fundamentos e importa a extinção imediata de quaisquer direitos e obrigações, salvo eventuais indemnizações a que qualquer das partes tenha direito e sem prejuízo da obrigação de pagamento das facturas relativas a Produtos e Serviços disponibilizados antes da data da produção de efeitos da resolução.

Portanto, não me informaram do que pedi, que foi a rescisão o que fizeram foi um pedido de desactivação, tentando ficar com mais uns euros.

Infelizmente é assim que as coisas funcionam: à base da desinformação para poderem, se necessário “apanharem” o cliente “desprevenido”.

E pronto, hoje dia 03-01-2011 seguiu para a ZON o pedido de resolução do contrato, agora é esperar para ver a resposta deles.

23*

 

(
(            %
         
    *    
*            /(    
’



               

( 

(.    
                     7

        .         &&/


Reclamação ZON

Sei que o tema em nada tem a ver com a temática do blog, mas gostava de partilhar com vocês uma situação no mínimo caricata.

Para vos ajudar a perceber melhor a dimensão destes “engodos”, aqui vai a história que se está a passar comigo e com a ZON…

O Contrato Inexistente

Os meus pais tinham o serviço ZON instalado há bem mais de 12 meses, no entanto no dia 22 de Setembro de 2010, foi feito um pedido de Alteração de Titular por telefone, pelo meu pai, para meu nome, passando o serviço a estar em meu nome.

O primeiro espanto está, na facilidade neste processo, ora bastou o meu pai telefonar e dar os meus dados, e voilá, pronto, alteração feita. Não houve nenhum contacto comigo para confirmar dados, confirmar se realmente tinha interesse nos serviços, nenhum contrato enviado, nenhuma carta a informar, simplesmente NADA.

Pelo que consta, não é necessário confirmação de dados nem nada do género, pois após pagamento da primeira factura considera-se que o cliente aceita as condições gerais, ora, assim sendo vou mudar o contrato para o nome de alguém, dou os dados, pago a primeira factura e nunca mais me chateio.

A Primeira Factura

Após receber a primeira factura, detectei logo incongruências na mesma, engraçado que só se enganam para mais, para menos nunca se enganam.

Desloquei-me à loja de Setúbal, e o que se sucede, sucede-se que facturaram-me o serviço desde o dia 23-09-2010 até 31-10-2010, e o que está aqui mal? Nada, não fosse o facto de que o meu pai já tinha sido facturado pelo período de 01-09-2010 a 30-09-2010, assim sendo procederam à emissão de uma nota de crédito no valor de 9,50€ correspondente ao período de 24-09-2010 a 30-09-2010.

Onde está a incongruência? Para os mais distraídos estes senhores já estariam a encaixar 1,88€ assim como quem não quer a coisa, facturando o dia 23 de Setembro duas vezes.

Na loja lá rectificaram a situação e procederam a nova nota de crédito desse montante que seria restituído ao meu pai. No entanto mencionei que o pretendido era permanecer com tudo exactamente igual, incluindo a data de facturação, o que não estava a ser cumprido, o que me foi dito é que foi devido à alteração de titular.

Oferta de Mundos e Fundos

Não satisfeito com a situação liguei para o apoio a cliente e pedi a desactivação dos serviços, de imediato ofereceram mundos e fundos. Na altura estava a pagar perto de 60€ / mês, mas não aceitei no momento.

No entanto liguei para a Cabovisão para saber as ofertas e tinham ofertas mais tentadoras, assim sendo desloquei-me novamente à loja em Setúbal (onde pedi o corte dos serviços e, novamente, é impressionante que quando estão para perder um cliente oferecem tudo e mais alguma coisa), ofereceram-me um pacote muito melhor ao que tinha, com Fibra e a pagar 45,49€ / mês, ora estamos a falar numa diferença de cerca de 15€ tendo um serviço melhor, o qual aceitei e foi marcada a instalação dos serviços para 30-10-2010.

A Segunda Factura

Após receber a 2ª Factura, curiosamente eis o espanto quando deparo-me novamente com valores a mais, coincidência?

Dirijo-me à loja de Setúbal (13-12-2010), onde fui atendido pela Assistente A (para não mencionar nomes), sendo que a mesma raramente teve qualquer oportunidade de se explicar pois a Assistente B estava constantemente a meter-se na conversa, de forma pouco profissional diga-se de passagem.

Após várias tentativas a explicar o erro da factura à Assistente A, a Assistente B interrompia-me constantemente dizendo que não tinha razão na reclamação que tinha.

O erro era facilmente percebido pela noção de conjunto que é uma das noções primitivas da Matemática, e é dada no 9º ano, qual será a escolaridade mínima exigida para se ser assistente de loja? Continuando…

Ora o problema estava em que, o novo pacote de valor 45,49€ entrou em vigor a 30-10-2010 e foi-me facturado até 30-11-2010, o que está correcto, porém, antes disso, já tinha pago uma factura de 01-10-2010 a 31-10-2010.

Ora seja A o conjunto dos dias do pacote antigo que me foi facturado no mês de Outubro (1 a 31) e B o conjunto dos dias do pacote novo que me foi facturado no mês de Outubro (30 e 31).

O resultado final de A ∩ B tem que ser Ø (conjunto vazio), isto é, se A e B não têm elementos comuns, ou seja, não têm dias em comuns, diz-se que são conjuntos disjuntos, e era isso que deveria acontecer quando intersecta-se os dois conjuntos, no entanto facilmente consegue perceber que a intersecção dos dois dá o dia 30 e 31.

Ora estes senhores o que fizeram foi:

  1. No serviço de TV não efectuaram o desconto dos dias 30 e 31 do pacote novo.
  2. No serviço de Internet voltaram a facturar o dia 29 e 30 com o valor antigo (que já estava pago, assim sendo estava a pagar 33 dias em vez de 31), facturaram os dias 30 e 31 do novo pacote, e no fim deram um desconto desde o dia 29 a 31 de Outubro, onde está o erro? Uma simples conta de somar resolve o problema, assim sendo: 31 (dias que o serviço antigo já estava pago) + 2 (dia 29 e 30 que facturaram novamente o serviço antigo) – 3 (29 a 31, dias que descontaram o serviço antigo) = 30, ora, eu fui cobrado do serviço novo desde o dia 30-10-2010, logo estava a pagar o dia 30 duas vezes.

Penso que não é preciso ser-se muito inteligente para perceber isto, mas as senhoras da loja não conseguiam perceber tal coisa, o que mais tarde me foi dado razão, como é óbvio. Afinal quem estava errado Assistente B?

Fui obrigado a sair da loja sem a situação resolvida, vendo-me obrigado a telefonar para o apoio a clientes para tentar explicar, e lá apanhei alguém que tem raciocino lógico, ou então ouve o cliente, coisa que na loja é impossível.

No entanto ambos (quer por telefone quer na loja) disseram que poderia pagar apenas o valor correcto, no entanto ninguém mo disse qual era, porém mais uma vez não devem conhecer o próprio contrato, pois vejamos:

7.6 Sem prejuízo do direito do Cliente proceder ao pagamento parcial e obter quitação de apenas parte dos valores constantes das facturas, o Cliente deverá liquidar na sua totalidade os valores constantes das facturas emitidas. Eventuais pagamentos parciais dos valores constantes da factura ZON TV CABO serão considerados pagamentos por conta dos Produtos e Serviços fornecidos/prestados e não prejudicam o direito de a ZON TV CABO considerar incumprida a obrigação de pagamento e determinar a suspensão do acesso aos Produtos e Serviços em causa.

Ora se não pagasse o valor da factura a ZON tinha o direito de considerar incumprida a obrigação de pagamento.

A Reclamação

Como é óbvio, no decorrer da situação da 2ª factura não saí da loja sem proceder à devida reclamação, quer pelo atendimento que tive, quer pelos valores a mais que me estavam a ser cobrados novamente.

Porquê reclamar?

Porque a reclamação, além de ser um meio de protecção dos meus direitos enquanto cliente, serve também como forma de protesto.

Pois os Portugueses são por natureza muito refilões, mas são refilões inconsequentes, refilam nas costas das pessoas ou fora dos locais próprios para o efeito.

Desta forma, não só apaziguamos a nossa consciência e passamos a dormir mais tranquilos, como principalmente estaremos a dar a nossa contribuição cívica, para o aperfeiçoamento da sociedade e a eliminação de muitas injustiças.

Se um dos deveres fundamentais do cliente é pagar as suas facturas a tempo e horas, um dos seus principais direitos é o de poder reclamar quando considera que tem razão. Reclamar é um acto de cidadania“.

2 dias após a reclamação, dia 15-12-2010 a  ANACOM recebe a reclamação e emite-me a 22-12-2010 uma carta de Aviso de Recepção, a dizer que irá analisar a mesma.

Não percam os próximos episódios desta ridícula novela.

Feliz Natal e Bom Ano Novo

Em 2010 consegui atingir todos os objectivos que tinha delineado para este ano, tendo superado todas as minhas expectativas a qualquer nível.

Para 2011 já tenho alguns objectivos traçados, um deles actualmente já em fase avançada, que na altura certa será divulgado.

A toda a  minha família, amigos, clientes, aos meus leitores, a quem me acompanha, colegas, desejo a todos vocês, e às vossas famílias e amigos um Feliz Natal e um Bom Ano novo!