Confissões Excêntricas de um Programador – Parte 6

Há mais de dois meses que não coloco nenhuma das minhas confissões. Tenho muito que desabafar, então aqui vai:

1. O iPad é fantástico para aqueles que não precisem de fazer muito, como ouvir música, navegar na Internet, ver os emails, fotos, etc… Fora isso não vejo mais nenhuma utilidade no iPad… porquanto.

2. Recebo vários emails onde solicitam ajuda, mas a maioria esquece-se da regra mais básica para pedir ajuda, e acabam sem receber nenhuma resposta, enviando novo email a perguntar porque não receberam nenhuma resposta. A resposta é simples, se não demonstrares que tentaste fazer ou chegar a algo, não mereces ajuda.

3. Nos últimos tempos fiz alguns trabalhos de consultoria e decididamente abriu os meus olhos para diferentes formas de gerir projectos.

4. Às vezes quando estou a programar algo que realmente gosto, por vezes fico bastante entusiasmado.

5. Nos últimos meses, aprendi que se quiseres falar com alguns membros conhecidos da Web, como por exemplo membros da equipa do WordPress, basta apenas pedires. São muito mais acessíveis do que pensas, a não ser que apenas estejas à procura de suporte.

6. Não sou dos programadores que mais aprecia o jQuery, como tal não sou nenhum fanboy, mas DETESTO quando escrevem “Jquery”.

7. Ainda não tive a oportunidade de dar nenhuma palestra, mas isso irá mudar brevemente, e estou ansioso por vos conhecer.

8. Finalmente chegou ao fim o tempo em que era cliente ZON, apesar de que nem tudo está resolvido, nos próximos dias coloco uma actualização sobre a situação.

9. Um membro da equipa de suporte de uma empresa de alojamento disse, recentemente, a um amigo meu, que Java e JavaScript são a mesma coisa. Pensa bem na próxima vez que pretendas escolher uma empresa de alojamento.

10. Os Websites são muito parecidos a escolher uma Mulher: alguns aparentam ser muito bons, mas não têm conteúdo de qualidade; outros não são tão vistosos à primeira vista, mas o conteúdo e a experiência do utilizador são muito bons que captam a nossa atenção.

Sabe bem fazer estes desabafos e deitar tudo cá para fora. Agora é a vossa vez, comentem…

Confissões Excêntricas de um Programador – Parte 5

Já passou mais de um mês desde a minha última confissão. Tenho muito que desabafar, então aqui vai as minhas confissões:

1. Quem sai a perder na guerra dos browsers? Os programadores, os designers, os utilizadores. Espero que as equipas por detrás do desenvolvimento dos browsers se estejam a divertir…

2. Para aqueles que me enviam emails e para aqueles com montes de dúvidas em JavaScript, talvez precises começar a olhar para o teu CSS?

3. Apesar da notícia ter algum tempo, os avisos emitidos pelo Governo Alemão para não utilizarem o IE, não teve muito impacto, pelo menos nós programadores não devemos ter muitas esperanças para um futuro próximo. É de louvar a recomendação, mas teve um impacto muito diminuto.

4. Para aqueles que realmente amam o seu trabalho: considera-te cheio de sorte. Há dias que são uma luta para alguns de nós.

5. A falta de responsabilização que vejo em alguns freelancers é um crime. Levam semanas para fazer actualizações básicas ou cobram valores exorbitantes para corrigir problemas que eles próprios criaram. Absolutamente chocante.

6. O inverso também se aplica, a falta de responsabilização que vejo em alguns clientes é um crime. Querem tudo pelo preço da chuva, e alguns ainda se acham no direito de exigir coisas para as quais não pagam. Há dias complicados.

7. Concluí que o que mais me irrita no IE6 é a falta de suporte à transparência a PNG.

8. Nunca fui um grande fã de pseudo-código. Percebo qual é o seu objectivo, mas prefiro trabalhar com isso na minha cabeça.

9. Considero que é uma vantagem trabalhar e poder levar o meu trabalho para casa, porém também considero uma enorme desvantagem.

10. A semana passada um cliente pediu-me para fazer um contador de visitas

11. Acho um absurdo o INPI ter pago 20.400,00€ ao ISCTE para ter uma presença no Twitter

12. Mais absurdo ainda é a resposta dada à notícia, apesar de ser “bonita” não passam de tretas. O twitter já existe há não sei quanto tempo, e só agora se lembraram de investir nele? É necessário subcontratar para fazer a comunicação do INPI? Mas o que é que eles ganham com isso? Têm neste momento 263 followers e  1318 tweets – WOW espectáculo!!! É simplesmente ridículo uma organização, que supostamente tem recursos humanos mais que suficientes, subcontrate serviços que não são indispensáveis para o futuro da organização, e que apenas faz aumentar o as contas públicas que requisita austeridade aos demais, enquanto o sector público continua a esbanjar. É o País que vivemos!!

Já sabes, partilha as tuas confissões, desabafa, opina…

Confissões Excêntricas de um Programador – Parte 4

Já faz algum tempo que não colocava um artigo no site, por indisponibilidade pessoal, mas já estou melhor, e começarei novamente a colocar artigos com a mesma regularidade. E nada melhor que voltar aos artigos que dizer o que tenho cá dentro com as minhas confissões.

1. Lembram-se quando o CSS substitui-a algumas funções do JavaScript como o “onmouseover” na troca de imagens? Agora, utilizamos o JavaScript para compensar algumas falhas do CSS. Claro que uma boa parte da culpa vai para o IE6, mas estou decepcionado pois o CSS não está a avançar tão rápido quanto o JS.

2. Todos nós detestamos o IE6, mas afirmo com toda a certeza que é de tamanha irresponsabilidade não fazer com que o site dos teus clientes seja suportado pelo IE6 sem lhes dizeres. E se convenceres os teus clientes que o IE6 não é importante, estás apenas a tentar tornar o teu trabalho mais fácil à custa do cliente. Faz o que quiseres com os teus sites pessoais, intranets, etc, mas não à custa do negócio dos teus clientes …

3. … Mas não tens que dar ao utilizador do IE6 todos as “mariquices”, como bordas arredondadas.

4. Muitas são as pessoas que julgam os frameworks JavaScript baseados na sua popularidade em vez da sua funcionalidade. Não confundam popularidade com funcionalidade e flexibilidade.

5. Tenho reparado que alguns amigos meus têm ficado cada vez mais frustrados com o Firebug e principalmente com o Firefox. O Firefox recentemente tende a parar de responder com mais frequência do que gostaria e o Firebug parece seguir o mesmo caminho. O Firefox também consome cada vez mais memória. E o que sempre fez do Firefox um grande browser? As ferramentas de desenvolvimento. Se o Chrome e o Safari implementarem boas ferramentas de desenvolvimento … porque razão iríamos usar o Firefox?

6. Engano-me sempre no método fadeTo do jQuery que tem como primeiro argumento a velocidade e não o nível de opacidade. Será que mais alguém engana-se nisso? Isso não deveria ser mudado?

7. Provavelmente o problema mais frustrante do IE6 é lidar com opacidade em imagens PNG. Eu sei que há a hack .htc e um monte de hacks de JavaScript, mas ainda não encontrei um que não mostre um “flash” cinzento em cada imagem.

8. Na minha primeira confissão mencionei que não sabia se queria fazer do Web Development a minha profissão no futuro, 3 meses depois tenho cada vez mais certeza que não quero, apesar de gostar do que faço.

9. Chrome Frame pode ter uma hipótese, pois o pessoal das TIs estarão muito mais receptáveis a instalar um plugin do Google do que que fazer uma actualização de todos os seus IE instalados. Mas não esperem que o GFrame seja o salvador da pátria, mas aprecio o seu esforço.

10. Uma das palavras chaves mais usadas nos últimos tempos para que as pessoas cheguem ao meu site tem sido “Carlos Gonçalves”. Não é uma palavra-chave muito boa, mas aprecio o facto de que as pessoas conheçam o meu nome.

11. É difícil não usar JSON como uma muleta – é tão útil que gosto de usá-lo em tudo.

Opiniões?

Confissões Excêntricas de um Programador – Parte 3

Se perdeste a minha última confissão, podes vê-la aqui. Tenho gostado imenso de partilhar convosco os meus pensamentos em forma de confissões, apesar de alguns de vocês discordarem completamente das minhas ideias. Dêem aos meus pensamentos / ideias apenas o valor que eles têm.

1. Acho estranho que não possamos ver o código fonte de uma aplicação de computador, mas o código fonte XHTML + CSS + JavaScript de um site está à vista de qualquer um. Quanto mais penso sobre isso, menos percebo. Acho isto estranho, mais alguém acha?

2. Acho que o Widget do número de subscritores do FeedBurner é um contador da Web 2.0.

3. Sonho com o dia em que todas as linguagens web possam ser programadas com a mesma sintaxe do PHP e do JavaScript, seria fantástico.

4. A extensão dos ficheiros não deve aparecer no URL, dá um ar amador.

5. Gostava de ver a equipa do jQuery e do Mootools a vender t-shirts ou algo do género que os ajudasse a financia-los. Eu seria o primeiro cliente.

6. Se achas que podes deixar de dar suporte ao IE6 para qualquer site que não seja intranet, estás doido. O IE6 não vai desaparecer tão cedo e prevejo que não poderemos deixar de dar suporte ao IE6 até 2012.

7. Se tiver que explicar como configurar o Microsoft Outlook mais uma vez acho que crio um artigo no blog sobre isso.

8. Cada vez mais sou fã da Apple, depois de ter o meu MacBook tenho pensado em comprar um iPhone e um iPad. Acho que estou a ter uma crise de identidade.

9. Acho que és um idiota se só te esforçares por perceber apenas um Framework JavaScript. Conhecer mais que um torna-te infinitamente melhor e acima de tudo mais útil.

10. A relação jQuery / Microsoft deixa-me maluco. Quantos programadores ASP / .NET utilizam o jQuery? A Microsoft beneficia mais do que o jQuery deste relacionamento? Uma coisa eu sei, é que esta relação NÃO significa que o jQuery ganhou a “guerra” dos Frameworks JavaScript como já li em alguns artigos. Nem perto disso.

Como sempre, partilha a tua opinião. Desabafa.

Confissões Excêntricas de um Programador – Parte 2

Tenho muitas opiniões/pontos de vista controversos, e não tenho medo de os deitar cá para fora. Desde a minha última confissão, compilei mais algumas das confissões que quero fazer e sinto que hoje é o momento ideal para o fazer.

1. Não vejo nada de errado abrir links em novas janelas. Queres que um PDF, um documento Word, ou um Excel abra na mesma janela? Muito menos se for a janela principal de um utilizador “amador”, pois esses vão de imediato fechar a janela em vez de apenas clicarem em “voltar”. Até eu faço isso. E se um link é usado apenas como referência ou link de apoio queres que ele abra na mesma janela? Claro que não.

2. Às vezes tenho mais orgulho de uma boa “solução alternativa” do que a solução final. Um bom programador precisa ser inteligente.

3. Quando olho para alguns dos meus códigos CSS e PHP de alguns anos atrás, não percebo como é que consegui fazer aquilo. Isto é uma das vantagens de ser um programador – Sinceramente, sinto que posso melhorar a cada dia.

4. Não gosto nada da homepage do sourceforge.net. Acho-a horrível, um grande software por trás mas uma horrível homepage.

5. Embora não tenha nenhuma preferência nas novas versões do HTML ou do XHTML, não vejo muito valor na tag “<article>”, não vejo isso como um progresso. Porque não acabam com os estilos padrões nos elementos e deixam-nos definir os nossos, como no XML?

6. Por mais que me custe dizer, o IE7 está a desaparecer mais rápido que o IE6. Os utilizadores do IE7 vão actualizar a sua versão enquanto os utilizadores do IE6 não.

7. Prefiro o IE6 ao IE7.

8. Não me arrependo por ter recusado uma oferta de participar numa comunidade mais activa sobre PHP, para posteriormente criar um livro. O compromisso ter-me-ia ocupado demasiado tempo  e prefiro escrever sobre isso no meu blog, sem contar que a nova geração de programadores raramente utilizam um livro de programação quando podem encontrar de tudo online.

9. Embora não abdique tão cedo do MooTools, o Ext começa-me a puxar o bichinho da curiosidade. Claro que o Ext é mais como uma GUI, mas acho-o incrível e espero vir a usá-lo um dia destes.